QUESTIONAMENTO – Vamos valorizar?

Eu era muito jovem e ouvi rumores sobre um filme: “os brutos também amam”, me interessei e pedi a minha irmã, a mais querida, para me levar ao cinema (na época única maneira de ver filme), fiquei estupefata, foi no cine Tupi na Baixa dos Sapateiros, a tela enorme, o volume do som muito alto, o povo interagia escandalosamente, saí do cinema zonza e foi aí que começou a minha vida de questionamento, a formação do ser que até hoje sou e gosto de ser.

Vivemos buscando numa sede nunca saciável, as vezes por falta de algo tão simples e que ninguém nos despertou: “um talento”, todos nós temos e as vezes não buscamos, mas se alguém nos despertar, é como um “eureka”, vamos longe! Valorizar é como amar e  estimular, temos necessidade de receber amor e de sermos valorizados e estimulados; tantos relacionamentos, tantas amizades se findam por falta de valorização, não estou falando de hipocrisia, falsidade, de permuta, de interesse, estou falando de verdade, de consciência de entrega; todos nós temos qualidades positivas e negativas, as vezes as negativas são tantas que ofuscam as positivas, mas essas existem e temos por obrigação de descobrí-las. As vezes com uma simples frase: – ninguém faz um bolo como você!

– Como você escreve bem!

– Que voz linda você tem!

– Eu gosto quando você me faz carinho!

Frases como essas despertam o talento e talento não precisa ser nível universitário; o talento simples é de total importância, exemplo: fazer artesanatos, cuidar de plantas, costurar e tantos outros, mas todos devem ser regados com valorização, estímulos e amor.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.